sábado, 19 de fevereiro de 2011

Leilão de brinquedos


Educar filhos não é tarefa fácil. Tenho uma filha (que às vezes vale por dois) e digo que não é fácil mesmo. Eles nos testam o tempo todo e como não tivemos escola que nos ensinasse em como sermos pais perfeitos, acabamos errando com a intenção de acertar.
Eu sempre digo às minhas amigas que a pior parte de ser mãe é a culpa. Culpa por não estar junto o tempo todo. Culpa por não evitar que o filho sofra, seja por uma simples gripe, ou por ter tropeçado e ralado o joelho. Culpa quando falamos mais alto. Culpa quando somos mais rígidos numa repreensão aplicando um castigo.
Mas acredito que a culpa faz parte da tarefa de ser mãe ou pai e aprendemos a conviver com ela o tempo todo. Mais vale sentir culpa educando, do que sentir mais tarde por não ter educado.
Embora muitas vezes nos sintamos mal por colocarmos nossos filhos de castigo, se faz necessário que a criança perceba que seu mal comportamento vai gerar uma consequência. Aí entra o castigo, que é uma punição pela atitude reprovável da criança. Ela precisa sentir que aquela atitude foi errada e que ela terá que arcar com as consequências.
O castigo pode ser deixar o filho num cantinho depois da "arte" pensando sobre o que fez de errado. Depois de transcorrido o tempo equivalente a idade da criança em minutos, o pai ou a mãe deve se abaixar e colocar o olhar ao nível dos olhos do filho e explicar o por quê ela recebeu o castigo, e que aquele comportamento não é permitido. Outra forma de se aplicar um castigo é tirando algo de que a criança gosta, como a deixando sem video game por dois dias, por exemplo. E o mais importante: nunca ameaçar de fazer algo com a criança e não fazê-lo. Se um dos pais prometer deixar de castigo caso a criança faça isso ou aquilo de errado, deverá cumprir com o prometido.
Uma mãe aplicou um castigo bem diferente e pertinente à situação ocorrida. Ela colocou os brinquedos dos dois filhos no site eBay para serem leiloados depois de os dois terem destruído a banheira de casa. O dinheiro do leilão será usado para repor a banheira. Considero a atitude da mãe bastante dura, porém, correta e necessária. Provavelmente eles evitarão ao máximo de quebrar mais alguma coisa dentro de casa e, consequentemente, fora também..
A matéria saiu no site Techtudo, veja:
http://www.techtudo.com.br/noticias/noticia/2011/02/mae-se-irrita-e-leiloa-brinquedos-dos-filhos-no-ebay.html
Só não sei se ela deveria ter exposto os filhos colocando a foto dos dois meninos no anúncio. Um deles chorando e o outro segurando um saquinho com os brinquedos.
Mas cada pai e mãe devem saber a medida do castigo que aplicam para seu filhos.
Quando os pais não educam seus filhos em casa, estão se eximindo de uma tarefa que é somente deles. E se eles não o fazem, o mundo lá fora o fará.

2 comentários:

  1. Oi, Juli! É educando que aprendemos a educar. Nada é fácil de fato. Eles nos testam, temos sim que apresentar os limites. Eles precisam dessa nossa experiência para orientá-los.
    Achei bastante dura a atitude da mão, contudo é válido. Ela está tentando por uma via sofisticada até.
    Aqui em casa desenvolvemos um método curioso também. Tirar a tv já não os corrigia. Brincavam mais. Percebi que eles tinham muito apego às economias que faziam em seus cofrinhos. Pensei: “Saiu da linha, multa!”. Não é que deu certo. Eles entram na linha rapidinho para não perder um dinheirinho. [sorrio].
    Posso estar errado, porém é com carinho que estou tentando.

    Abraço e convido para que leia e comente “Milk Shake de Micose” no http://jefhcardoso.blogspot.com/

    “Para o legítimo sonhador não há sonho frustrado, mas sim sonho em curso.” (Jefhcardoso)

    ResponderExcluir
  2. É Jeffh. Gostei do seu método peculiar.
    "Endurecerse sin perder la ternura". Acho que é por aí mesmo! Com a minha filha, de quase três anos, o castigo (curtinho) sentadinha na poltrona, ainda funciona. Essa restrição da liberdade impedindo-a de sair correndo e pulando, como ela gosta, a deixa bem sentida e a acalma. Bom, pelo mesno por algum tempo. Mas educar é um trabalho árduo e constante. Devemos estar constantemente acompanhando os passos dos nossos pequenos, corrigindo-os, orientando-os, de vez em quando dando bronca, outras dando colo...
    Afinal, ser pai e mãe é um bilhete só de ida. E nessa viagem devemos guiar nossos pequenos pelo o melhor caminho.
    Logo estarei no seu blog para ler o "Milk Shake de Micose".
    Obrigada pela sua visita e pelo seu comentário.
    Um abraço,
    Juli

    ResponderExcluir