segunda-feira, 10 de outubro de 2011

Aprendendo algo novo



Ando meio sumida, porém, com saudades do meu cantinho, das minhas bagagens!
Não comentei por aqui, mas estou me preparando para o ENEM 2011. É como se eu estivesse voltado para o Ensino Médio. Estou estudando há uns 4 meses, no entanto, sendo mãe de uma menininha cheia de energia, dando umas aulinhas particulares ou substituindo vez ou outra e estando sem empregada (ainda), não estudei tudo o que deveria. Afinal, faz 20 aninhos que saí do EM, mas não contem pra ninguém, por favor!!
Embora eu tente ficar antenada aos acontecimentos do Brasil e do mundo, o que me preocupa mesmo são as matérias específicas das áreas de Ciências da Natureza como Física, Química e Biologia e a tão temida Matemática e suas tecnologias. De resto, acho que dou conta. Tenho aí, mais duas semanas para enfiar as caras nos estudos e tentar uma vaga na Federal, no intuito de concluir meu curso de Psicologia.
Mas o que eu quis mesmo compartilhar com os amigos e visitantes é que mesmo tendo pouco tempo para outras atividades, iniciei um curso de violino há três semanas. Aproveitando que minha filha faz musicalização em uma sala, em vez de ficar esperando a aula dela terminar, resolvi aliar a fome com a vontade de comer e estudar violino na outra sala.
Ao meu ver, o violino emite um dos mais lindos e agradáveis sons. Sempre fui eclética musicalmente. Mas o violino, tanto na música clássica, quanto em outros ritmos como rock/pop e hip hop, sempre foi de longe o instrumento que mais me encantava na melodia. No último sábado, tive minha terceira aula e já consigo tocar, é claro que com pouca desenvoltura, a música "Brilha, brilha estrelinha". Pelo método Suzuki, essa é a primeira canção que aprendemos. Enquanto aprendemos a tocar as primeiras notas, já na primeira aula, aprendemos as notas que compõem a música.
Como há variações no modo de tocar a mesma música, estou estudando (treinando) os três primeiros modos.
Quando optei por ter aulas de violino, tive alguns objetivos:

  • Tocar um instrumento requer atenção e concentração. Estudar para o Enem, também. Isso me permite aumentar minha concentração, já que uma de minhas dificuldades é a concentração.
  • Aprender algo novo permite ao cérebro fazer novas conexões, evitando assim, o aparecimento do Mal de Alzheimer. Tendo casos de Alzheimer na família, preciso manter meu cérebro ativo desde já.
  • Aprender a tocar um instrumento que se gosta é estimulante, e mesmo diante das dificuldades inerentes a quem nunca estudou música, como eu, se você gosta daquilo que está aprendendo, o risco de desistir é bem menor. 
  • Aprender qualquer instrumento requer disciplina. Ninguém é um virtuose sem dedicação e disciplina. Não que eu tenha essa pretenção, e nem que eu quisesse poderia, mas acredito que para ser um virtuose, tem que se combinar talento nato a muita dedicação.
  • Por fim, aprender algo novo é prazeroso e prova que somos capazes de superar limites. Nos sentimos vivos e capazes.
Se estudar violino me ajudará a passar no ENEM? Acho que sim. Eu pensava que seria como estudar piano ou violão, em que a pessoa dedica  horas e horas do dia. Seguindo aos conselhos da professora, basta de 10 a 15 minutos por dia, para não cansar e não enjoar. Tem que ser prazeroso e não obrigatório e exaustivo. Gostei desse método porque posso aliar o prazer de estudar um instrumento de que gosto com os estudos para o ENEM.
Andei vendo no youtube algumas pessoas tocando a mesma música, iniciantes como eu, e cheguei a conclusão de que para quem assistiu a apenas 3 aulas, eu estou me saindo muito bem, obrigada!