segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Santo tradutor google

                       


Eu e Anna Nagy no Cristo Redentor (seis dias antes da Alice nascer)
                         Esses tradutores onlines são a salvação de pessoas que mal falam a própria língua, como eu. (rsrs) Brincadeiras a parte, é o que possibilita a conexão entre as pessoas. Em 2008, quando eu morava no Rio e a Alice estava prestes a nascer, recebemos a visita de um casal muito querido, que nos deixou saudades. O Christophe, francês, que trabalhava com meu esposo no navio de císmica de uma empresa estrangeira e sua esposa, uma moça húngara que arranhava um inglês tão mal como o meu e um pouco mais de francês. Nós fomos seus cicerones em alguns passeios pelo Rio: prainha, reduto dos artistas globais no Recreio, Cristo Redentor, Copacabana, centro (e eu já com algumas contrações aos nove meses de gestação) e por aí foi. Viajamos com eles para Teresópolis, mostramos a Serra dos Órgãos e o Dedo de Deus no caminho e fizemos uma pequena trilha em um Parque que não me lembro o nome. Eu estava super inchada e queria andar e andar, mas meu marido começou a se preocupar e voltamos para o Rio com receio da Alice chegar no meio do caminho.


Anna, Christophe e Affonso na Serra dos Órgãos - Dedo de Deus ao fundo
(eu tirei a foto)

                        Você que está lendo isso, deve estar se perguntando como eu me comunicava com eles? Bom, a comunicação com ela fluia, por incrível que pareça. Ele falava inglês com meu marido e eu entendia o contexto da conversa. Ela falava com o marido em francês e algumas coisas em húngaro, quando ela não sabia traduzir para o francês ou inglês. Até eles não se compreendiam às vezes. Um aprendia a língua do outro. O que faz o amor hein? É mesmo a língua universal! Então, eu e ela nos falávamos usando algumas palavras em inglês, outras em francês e o resto eram gestos, mímicas e às vezes até desenhos!! O curioso é que embora tentássemos nos comunicar em três línguas diferentes, eu acabei aprendendo algumas palavrinhas em francês e aumentei meu repertório em inglês. Embora barriguda e super inchada, foram dias de muita aprendizagem e amizade que permanecem na lembrança. Periodicamente trocamos e-mails e usamos, certamente, o recurso do tradutor para nos entendermos.
                        Dia desses recebi um book fotográfico dos lugares onde ela esteve (Rússia, Argentina, Índia, França etc), as danças que fez pelos lugares onde passou e as músicas que cantou. Seus poemas em húngaro (que são vários), seu currículo é repleto de experiências voltadas à arte em geral. Um portfólio recheado de experiências das mais incríveis. Isso é que é viver!!!
                        Graças ao translate.google e a boa lembrança que tenho dela e do Christophe podemos nos comunicar sempre que podemos. Quem sabe um dia nos reencontramos amigos!


Anna e Christophe no Cristo Redentor

"Kellemes Karácsonyi Ünnepeket barátaim és egy új év a béke, az egészség és a siker!"
(Feliz natal meus amigos e um ano novo de paz, saúde e sucesso!)

Saudades! (que só existe em português)

Nenhum comentário:

Postar um comentário